Onda de calor na Índia mata 14 pessoas num único dia no estado de Bihar

Anderson Souza

Pelo menos 14 pessoas morreram em um único dia no estado de Bihar, no nordeste da Índia, devido à onda de calor que atinge grande parte do país, anunciaram hoje as autoridades regionais.

Siga nosso Instagram @blogdoandersonsouza

PUBLICIDADE

“De acordo com as informações recebidas até o momento, um total de 14 pessoas morreram devido à onda de calor”, informou hoje o departamento de gestão de desastres do estado de Bihar.

Também hoje, um tribunal instou o Governo indiano a declarar emergência nacional diante da intensa onda de calor que o país enfrenta há vários dias e que, segundo a instância judicial, já matou “centenas de pessoas”.

O Tribunal de Recurso do Rajastão (noroeste) afirmou hoje que a Índia deveria declarar as futuras ondas de calor como “calamidades nacionais”, o que permitiria a mobilização dos serviços de segurança, tal como acontece durante outros desastres naturais, como inundações ou ciclones.

De acordo com este tribunal, as autoridades não tomaram as medidas adequadas para proteger a população do calor e deliberou que o executivo local crie um fundo para indenizar as famílias das pessoas que morreram devido às altas temperaturas.

“Devido às temperaturas extremas sob a forma de onda de calor, centenas de pessoas perderam a vida durante o mês”, referiu o tribunal em um despacho emitido hoje.

“Não temos um planeta B no qual possamos nos instalar. Se não tomarmos medidas rigorosas agora, perderemos para sempre a oportunidade de ver nossos filhos crescerem”, argumentou a instância judicial.

PUBLICIDADE

A Índia está enfrentando temperaturas extremas há vários dias, com várias cidades registrando valores superiores a 45ºC (graus Celsius).

O atual recorde nacional, 51°C, foi registrado em 2016 em Phalodi, na orla do deserto de Thar, no Rajastão.

Leia Também: Pai é suspeito de matar filho de 4 anos para causar dor à mãe, diz polícia

Compartilhe esta notícia
Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.