Djokovic supera dores no joelho e tombo e chega às quartas de Roland Garros pela 18ª vez

Anderson Souza

Superação é a palavra que define a classificação de Novak Djokovic às quartas de final de Roland Garros pela 18ª vez em 20 edições disputadas. O atual campeão, líder do ranking e dono de três títulos no Grand Slam de Paris, precisou de cinco sets para superar o argentino Francisco Cerúndolo após sentir dores no joelho direito e necessitar de atendimento por três vezes, além de sofrer um tombo. Fez 6/1, 5/7, 3/6, 7/5 e 6/3 após 4h39 para confirmar uma dura classificação e evitar perder a liderança do ranking.

Siga nosso Instagram @blogdoandersonsouza

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Cerúndolo teve tudo para desbancar o favorito Djokovic. No quarto set, quando vencia o jogo por 2 sets a 1, teve 4 a 2 no placar e não sustentou a vantagem. Acabou levando a definição para o quinto set, onde o sérvio sempre costuma se agigantar e não deu chances para a zebra. “Nole, Nole”, cantou o público para celebrar o melhor do mundo.

A vitória evitou que Jannik Sinner, atual número 2 do mundo, já assumisse o topo do ranking antes mesmo de o Grand Slam acabar. Djokovic defende 2000 pontos do título, enquanto o italiano caiu na segunda rodada do ano passado. A distância de pouco mais de 1,2 mil pontos seria superada.

Diante de Djokovic, desperdiçar oportunidades é pedir para perder. Cerúndolo começou a partida não aproveitando dois break points no terceiro game. O sérvio confirmou o saque, quebrou a seguir e partiu para fechar com 6 a 1, investindo nas bolas anguladas e colocando o argentino para correr.

A partida até então tranquila mudou completamente na largada do segundo set com Djokovic sentindo um problema no joelho direito. O líder do ranking recebeu atendimento pelos três minutos previstos na regra, mas viu seu jogo cair bastante de rendimento. Foram dois atendimentos por causa das dores seguidos.

Até então uma de suas armas, o sérvio teve seu saque ameaçado a parcial inteira – foram nove break points -, dos quais salvou oito com aces ou saque e voleio. No 12º game, contudo, mandou para fora e viu Cerúndolo igualar o jogo com 7 a 5. Curiosamente, após o rival perguntar para seu técnico “o que fazer” para conseguir uma quebra.

Cabeça de chave 23, o argentino ganhou embalo e foi logo abrindo 3 a 0 no terceiro set, com a segunda quebra seguida na partida. Com fisionomia cansada e abandonando algumas bolas, o sérvio ainda sofria para confirmar o serviço. Com ace, Cerúndolo abriu 5 a 2. O número 1 do mundo ainda confirmou o saque, mas voltou a sentir dores no joelho e, mancando, parou na rede, levando a virada com 6/3.

Após conversa com a arbitragem, recebeu o terceiro atendimento e mais uma vez foi medicado. E nada de abandonar. O quarto set começou equilibrado até 2 a 2, quando a argentino aproveitou seu 15º break na partida e abriu 3 a 2 com bola para fora do sérvio. Depois, ampliou.

O campeão, porém, ganhou um respiro na oitava parcial. Após bom golpe, teve a chance de quebra e chamou a torcida. Com apoio, igualou o marcador em 4 a 4. Depois retomou a dianteira com enorme e rara vibração no jogo. Cerúndolo salvou três match points antes de parar na rede e levar 7 a 5. O sérvio vibrou como uma conquista de título e voltou forte na parcial decisiva, logo abrindo 2 a 0. Na hora do embalo, porém, bateu boca com sua mulher, nas tribunas, e permitiu a quebra após ter 30 a 0. E ainda sofreu uma queda na quarta parcial, ralando o joelho que já estava machucado e saiu novamente reclamando muito do piso “estranho” da quadra.

Nada, contudo, abalou o campeão. Alcançando duas bolas curtas e depois mandando na risca, quebrou o serviço para abrir 5 a 3. No saque, no primeiro dos dois match points, fechou com bola fora de Cerúndolo, parando a jogada para avisar a arbitragem. Com braços aos céus, celebrou muito. “Muito, muito, muito obrigado à torcida. Também agradeço ao Francisco por jogar o seu melhor”, festejou.

Outro tenista garantido nas quartas de final foi o australiano Alex de Minaur (11º favorito) que surpreendeu o russo Daniil Medvedev (5º), de virada, ganhando por 3 sets a 1, parciais de 4/6, 6/2, 6/1 e 6/3.

SABALANEKA GANHA MAIS UMA

A belarrussa Aryna Sabalenka continua firme em sua busca pela terceira final seguida no circuito. Nesta segunda-feira, a número 2 do mundo não teve dificuldades para superar a americana Emma Navarro (22ª) com 6/2 e 6/3 em apenas 1h11.

A rival da belarussa nas quartas de final, na quarta-feira, será a russa Mirra Andreeva, que também avançou com 2 a 0, parciais de 7/5 e 6/2 diante da francesa Varvara Gracheva.

Outro confronto definido das quartas terá a casaque Elena Rybakina – fez 6/4 e 6/3 diante da ucraniana Elina Svitolina – diante de Jasmine Paolini (12ª) que passou em três sets pela russa Elina Avanesyan. Após perder o primeiro set por 6/4, a italiana não deu chances e buscou a virada com 6/0 e 6/1.

Compartilhe esta notícia
Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.