Veja as regras para viajar de avião com cachorro ou outro pet na Gol, Latam e na Azul

Anderson Souza

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Notícias sobre a morte de animais em viagens de avião, infelizmente, não são incomuns. Nesta segunda-feira, 22, o golden retriever Joca, de apenas 4 anos, morreu após a Gol o enviar ao aeroporto errado. Ainda assim, as companhias aéreas vêm expandindo e buscando melhorias no transporte de pets.

Siga nosso Instagram @blogdoandersonsouza

PUBLICIDADE

O tutor precisa estar atento e acostumar seu bichinho com a caixa de transporte, pois o animal deve ficar preso nela durante todo o trajeto. Vale lembrar que cães e gatos de raças braquicefálicas, isto é, com focinho mais curto, têm maiores restrições em viagens aéreas, pois elas podem ser um risco para o animal.

As três maiores companhias atuantes no Brasil -Azul, Gol e Latam- têm diferentes regras para o serviço. Conheça os principais pontos.

AZUL

A Azul aceita transportar cães e gatos na cabine caso o pet esteja dentro de uma caixa de transporte que meça 21 centímetros de altura, 32 centímetros de largura e 43 centímetros de profundidade. O peso total do animal dentro da caixa deve ser de 10 kg. Caso ultrapasse o limite permitido, o transporte do bichinho pode ser realizado no compartimento de carga ou em um local especial para pets.

Em voos domésticos, o serviço custa R$ 250 e são permitidos até três animais por aeronave na cabine. Além disso, o tutor também deve apresentar documentos que atestem a saúde do animal, comprovando que ele está apto a viajar e emitido por um médico veterinário em, no máximo, dez dias antes do voo, carteira de vacinação e comprovante atualizado de vacina antirrábica para animais com mais de três meses.

Caso o voo seja internacional, a taxa varia entre R$ 250 e R$ 1.575, dependendo do destino. São permitidos até quatro animais por aeronave e é necessário, além de apresentar os documentos já citados, mostrar a carteira de vacinação do pet, com comprovante de vacina antirrábica aplicada após no mínimo 30 dias e a menos de 1 ano da viagem, possuir um Certificado Zoosanitário Internacional (CZI) e um Certificado Veterinário Internacional (CVI). Ambos são válidos por 60 dias corridos após a emissão.

PUBLICIDADE

As regras não se aplicam a cães-guia ou cães de acompanhamento, pois eles são treinados para viajar de avião e podem ser levados ao lado do tutor.

GOL

Na cabine de passageiro de voos da Gol, são permitidos cães e gatos de até 10 kg dentro da caixa de transporte, com no mínimo 6 meses de idade e atestado do veterinário com informações completas do animal: raça, nome, idade, origem e pedigree.

A caixa de transporte deve ter até 82 cm de altura, 114 cm de largura e 142 cm de comprimento. O serviço para voos domésticos custa entre R$ 250 e R$ 300; já para voos internacionais, o preço varia entre R$ 600 e R$ 650. O check-in para viajar com o animal deve ser feito exclusivamente no balcão de atendimento Gol com antecedência de duas horas para voos domésticos e três horas para voos internacionais.

A companhia também oferece o serviço Dog&Cat + Espaço, para cães e gatos que pesam até 30 kg, com a caixa de transporte. Esses animais são transportados no compartimento de carga, e os valores da taxa para voo doméstico variam entre R$ 850 e R$ 900. Já para voos internacionais, os preços ficam em torno de R$ 1.110 e R$ 1.150.

Caso o passageiro deseje transportar animais mais pesados ou de outras espécies, há o serviço Gollog. Para isso, a reserva deve ser feita com, no mínimo, 48 horas de antecedência. Cada espécie deve apresentar documentações obrigatórias, que estão resumidas no site oficial da Gollog.

LATAM

A Latam conta com três modalidades de transporte de animal: na cabine, com o passageiro, no bagageiro do mesmo voo ou via Latam Cargo. Para qualquer modalidade, o tutor deve apresentar um atestado de um médico veterinário com data de até dez dias antes do voo, contendo o nome do pet, idade, raça, comprovante de vacinas e declaração de bom estado de saúde.

O animal também deve ter pelo menos 16 semanas de idade e ter sido desmamado, pelo menos, cinco dias antes da viagem. Para voos internacionais, é necessário cumprir os requisitos de entrada do país de destino.

Cada passageiro pode levar um animal de porte pequeno em viagem dentro da cabine, por uma taxa de R$ 200 reais em voos nacionais e de até US$ 250 (aproximadamente R$ 1.282,50) para voos internacionais. O pet não pode estar sedado e deve caber em pé e possa se movimentar em uma caixa de transporte que meça 25 cm de altura, 28 cm de largura e 40 cm de comprimento.

Apenas passageiros das classes Cabine Economy ou Premium Economy podem transportar animais na cabine, e o cliente precisa confirmar o serviço junto à Central de Vendas e Serviços antes de chegar ao aeroporto. A entrada do pet no avião só será permitida caso haja disponibilidade de assentos no voo.

Clientes com animais maiores podem contatar o serviço de animais de estimação no bagageiro, que só é permitido em itinerários com no máximo uma conexão inferior a 7 horas em toda a viagem. Cada passageiro pode transportar até dois animais nesta modalidade, desde que eles não estejam sedados, estejam dentro de uma caixa de transporte e pesem até 45 kg.

A caixa deve incluir um recipiente para água e outro para comida. Para voos domésticos, o valor do serviço varia entre R$ 500 e R$ 900. Já em voos internacionais, o custo máximo é de US$ 300 (aproximadamente R$ 1.539).

A terceira modalidade de transporte de animais é via Latam Cargo. Para que a viagem seja possível o tutor deve apresentar a documentação necessária nos países de origem, conexão e destino e o animal precisa ter pelo menos 16 semanas de vida, além de estar dentro de sua caixa de transporte. Animais de outras espécies além de cães e gatos só podem viajar desta forma.

Compartilhe esta notícia
Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.